26 de novembro de 2012

Mais promoção, mais venda

ANTONIEL MARRACHINE LORDELO
Empresário/lojista e presidente da Ablac - Associação Brasileira de Lojistas de Artefatos e Calçados


Cada vez que um consumidor vai a uma loja de calçados e compra um determinado produto, ele atende a uma necessidade sua. E também ajuda a movimentar a cadeia produtiva, uma gigantesca estrutura empresarial que se estende de norte a sul, reúne milhares de empresas, gera milhares de empregos e contribui decisivamente para o Produto Interno Bruto (PIB).

A loja é a ponta final da cadeia e onde se evidenciam erros e acertos de todos os segmentos que a formam. Felizmente, os acertos têm sido maiores que os erros, mas ainda é preciso evoluir em algumas áreas, como a de comunicação com os consumidores, para incentivá-los a um consumo maior em todas as estações do ano.

Não bastam esforços individuais dos lojistas em suas respectivas áreas de atuação, que têm sido feitos ao limite dos recursos disponíveis. É preciso um grande investimento conjunto entre fabricantes, fornecedores, lojistas e entidades para mostrar os atrativos e os benefícios que os diferentes tipos de calçados proporcionam às pessoas. Beleza, conforto, bem-estar, valorização pessoal, facilidades de pagamento, ou seja, uma infinidade de fatores.

Novos concorrentes
Hoje, de um modo geral, as pessoas têm sido atraídas mais por anúncios de empresas de telefonia celular, de eletroeletrônicos e de veículos, que abocanham a maior parte de seus recursos, do que por campanhas de marcas calçadistas. O resultado é um volume cada vez maior de venda desses produtos e cada vez menor de calçados, ainda que a necessidade prática dos últimos se equivalha à dos primeiros.

As facilidades de pagamento também se equivalem, então o que explica a diferença do volume de vendas é, em nossa avaliação, a soma maior recursos investidos em propaganda e marketing. Algumas ações têm sido feitas entre indústrias e lojas de calçados e obtido resultados positivos, mas apenas em determinados períodos e regiões. Este modelo de parceria precisa ser ampliado tanto em número de empresas quanto de regiões para determinar um aumento no consumo per capita de calçados, que hoje é de aproximadamente três pares em nosso país.

Ações e investimentos
A Ablac, juntamente com a Abicalçados, veículos de comunicação e promotores de feiras, possui um programa denominado de Calçado Brasileiro o Melhor Presente, que estimula o consumidor a presentear com calçado à véspera de datas promocionais como o recente Dia dos Pais. Com ele, bons resultados vêm sendo alcançados, aquém, contudo, do que se acredita ser possível.

Faz-se necessário que fabricantes em grande número se somem ao projeto e passem a veicular o selo em suas embalagens e em mensagens publicitárias. Da mesma maneira, os lojistas devem utilizar as sugestões de sacolas e banners que estão disponíveis gratuitamente no site da Ablac no seu dia a dia.

Com mais ações sendo feitas e mais recursos sendo investidos em divulgação, mais consumidores serão atraídos e maiores serão as vendas de calçados. Em consequência, toda a cadeia será fortalecida. Convidamos os senhores empresários, os colegas lojistas e todos os demais players a se unirem e aumentarem os recursos investidos em mensagens positivas aos consumidores de calçados. Do contrário, continuaremos a assistir outros setores a elevarem as suas vendas enquanto nós lamentamos a nossa falta de sorte ou de união.

http://couroportal.couromoda.com/noticias/ler/mais-promocao-mais-venda